Páginas

28 de julho de 2010

I'm hearing myself thinking too clear It's too quiet in here (8)



Quiet
 Estava um silêncio infernal naquele salão. Éramos os últimos ali. Esperávamos enquanto nossas mães tagarelavam com a dona no salão, lá fora. A festa tinha acabado, todos tinham ido embora. Eu sabia o que ele queria dizer, sabia por que era a mesma coisa que eu queria dizer. E não era só o silêncio que me incomodava, não. Era o ar, estava denso, como se de repente nenhum de nós estivéssemos respirando. Isso estava me deixando louca! Eu sabia, sabia pelo olhar dele o que ele estava pensando e desejava que ele fizesse algo logo. Mas ele apenas ficava ali, parado, nada fazia. Eu podia ouvir meus pensamentos com clareza. “Ah, droga! Quero desaparecer”, eu pensava. Não, não era isso que eu queria, na verdade. Eu queria que ele quebrasse esse silêncio maldito. Porque ele estava demorando tanto? Eu não sabia. E tudo que eu queria dizer era: Venha.
Mas o silêncio, o silêncio era infernal, chegava a queimar, eu podia tocar. Queria que ele viesse e me abraçasse, me desse boa noite e um beijo de despedida. Mas ele continuava parado, naquela quietude. Não sei como ele não ouvia meus pensamentos, tamanho o silêncio. A coisa estava séria, eu estava realmente enlouquecendo. A espera e demora fazem isso com a gente. “Ah, por favor, faça algo, leve embora esse silêncio que nos separa!”. Não importava o quão alto meus pensamentos fossem, ele não ouvia.
Balancei a cabeça, derrotada, quando minha mãe me chamou. Quem sabe outro dia, quem sabe. O ar, pelo menos, parecia menos pesado.

[Baseado na música Quiet de Demi Lovato.]

4 comentários:

misuenos disse...

massa. eh baseado em fatos reais? kkkk

Juuh Arruda disse...

kkkkk. Bah era a protagonista.
[tow brinkndoo :)]

Bárbara Lua disse...

Pior que não! suhaushaushau
Antes fosse... hohoho. =X

Marina Amancio disse...

isso foi baseado na sua vida G.G ?